Publicidade

Publicidade

22/08/2008 - 09:02

Cachaça de raiz de pica de anta

Compartilhe: Twitter

Cuiabá não é chamada de Hell City por acaso, a cidade é um forno. Nos dias em que estive lá era comum o termômetro da rua marcar 37º durante o dia e 31º à noite – isso que um motorista disse que tivemos sorte, porque havia chovido no fim de semana anterior. Devia querer me convencer que, como era começo de agosto, estávamos no inverno.

Quem reclamava do tempo seco em São Paulo precisa sentir um pouquinho só o que é Cuiabá. Basta dizer que eu entrava no quarto e corria para a pia do banheiro encher a boca de água pra acabar com a secura. Para combater esse estado, só mesmo muita água e um delicioso refrigerante Marajá sabor maçã verde que compramos eu e um amigo. Não é brincadeira, o refrigerante era bom mesmo.

Bem, almoçávamos todos os dias no restaurante Regionalíssimo, com comidas típicas da região, feitas à base de muito peixe (especialmente Pacu) e bem temperadas com pimenta. As bebidas típicas da região também marcavam presença. Em uma mesa ao lado da porta de entrada havia várias delas, cachaças e licores de todos os tipos. Olhando a foto, não é difícil descobrir qual a mais pitoresca e que todos tomavam.

No primeiro dia relutei em beber a tal da cachaça de raiz de pica de anta, mas no sábado não teve jeito. O sabor era meio seco e o líquido desceu queimando a garganta. Confesso que não senti nenhum gosto peculiar. Mesmo assim, é uma boa cachaça para se ter em casa e tomar com os amigos antes daquele almoço de final de semana. Vale, pelo menos, pelo inusitado da coisa.

De qualquer forma, em termos de bebidas regionais de Cuiabá, eu fico com a Marajá de maçã verde. Juro que tem gente pensando em trazer várias para São Paulo.

Me apresentando: Tiago Agostini, trabalho na home do iG e sou responsável pelo blog Balada do Louco. Em tempos de menos dinheiro (a tal da adolescência) já tomei muita vodca e cachaça baratas com qualquer refrigerante que houvesse. Hoje bebo basicamente cerveja e caipirinha, mas não dispenso uma boa dose de tequila (gosto de vinho, mas beber sozinho é deprimente). Para mim, a melhor cerveja é a Heineken. Prefiro Original a Bohemia e Brahma a Skol, mas como todo bom gaúcho afirmo que a melhor cerveja nacional é a Polar.

Crédito da foto: Cirilo Dias flickr do Urbanaque

Autor: - Categoria(s): Mato Grosso Tags: , , ,
20/08/2008 - 18:00

Você já tomou Na Bunda?

Compartilhe: Twitter

Você já tomou Na Bunda?

Com todo respeito, por favor. A picante aguardente de cana grossa envelhecida em tonéis de pau barbado e produzida no município de Cacete Armado de pai para filho desde 1924 (clique nas fotos ao lado para ler mais detalhes do hilário rótulo da cachaça) é apenas uma das várias vedetes que circulam nos balcões do Porto da Pinga, cachaçaria de Paraty (endereço no fim do post). Neste caso, porém, a piada é mais importante que a cachaça (de terceira linha), por isso, deixe-a para o final da noite.

Antes, prove nomes como Canarinha, Boazinha, Lua Cheia, Seleta, Prosa e Viola (todas de Salinas, MG), Claudionor e Januária Centenária (Januária, MG), Germana (Nova União, MG), Benvinda (Patos de Minas, MG), Paratiana (Paraty, RJ), Maria Izabel (Paraty, RJ), entre outros, apreciando o sabor, degustando mesmo. Tome uma Providência (Buenópolis, MG) e, se a grana estiver sobrando, pense em encarar uma dose da mítica Anízio Santiago (Salinas, MG), que pode custar entre R$ 20 e R$ 30 (a dose, não a garrafa).

Curta o cardápio escolhendo as pingas pelas madeiras dos tonéis e, quando estiver preparado, tente encarar a botija com aguardente Pirahy (Volta Redonda, RJ) envelhecida com cobra. Você não tem nem tempo de pensar. O barman coloca o jarro na sua mesa e antes de você perguntar algo, ele mesmo enche o copo e vira a dita. Se ele não cair nos próximos dez segundos, não perca o brio: encha o copo, vire de uma vez e bata na mesa. Apenas tenha cuidado quando sair. Caminhar no Centro Histórico de Paraty pode ser uma aventura. Aqueles paralelepípedos…

Ps. Este blogueiro não tomou Na Bunda… apenas deu uma bicadinha nela! :)

Restaurante e Cachaçaria Porto da Pinga
Rua Matriz, 12, Centro Histórico, Paraty-RJ
(24) 99074370 / (24) 99580121

Leia também: XXVI Festa da Pinga de Paraty 2008 termina domingo

Autor: - Categoria(s): Recomendamos Tags: , ,
20/08/2008 - 10:59

XXVI Festa da Pinga de Paraty

Compartilhe: Twitter

Paraty é uma cidade do litoral fluminense que além de abrigar um Centro Histórico tombado pelo Patrimônio Nacional (considerado pela UNESCO o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso do país) e uma das festas internacionais de literatura mais badaladas do país (a FLIP), mantém em seus arredores oito alambiques que produzem cachaças como a Maria Izabel e a Corisco (11º e 14º lugares do ranking Playboy, respectivamente).

A cidade, no entanto, já teve mais de 300 alambiques em uma história de paixão pela marvada que remonta ao período colonial. Em 1908, na Exposição Industrial e Comercial do Rio de Janeiro, a cidade recebeu a Medalha de Ouro com a Pinga Azuladinha, a famosa “azulada do Peroca”, que já não é mais fabricada, mas ajudou (junto com outras cachaças) a criar a fama da cidade, que desde 1983 dedica um espaço no calendário para o Festival da Pinga.

Neste ano, a XXVI edição do Festival começou no fim de semana passado (15 de agosto), e segue acariciando a garganta dos amantes da cachaça até o próximo domingo, dia 24 de agosto, com barracas de cachaça, artesanato, música caipira e show do cantor Fagner como ponto alto, no próximo sábado, às 23h, no estacionamento da Praça da Matriz, no Centro Histórico da cidade.

Se você não quer (ou não poderá) fazer “borbulhas de amor à luz da lua” neste fim de semana, saiba que o cardápio de pingas na cidade fica aberto o ano inteiro. Inclusive, neste festival, a cidade distribui para os restaurantes a Carta da Cachaça, uma forma de inserir no cardápio de drinques, sobremesas e pratos, produtos feitos à base da cachaça de Paraty. Porém, como você deve imaginar, nem só de cachaça de Paraty vive os bares e cachaçarias locais, mas isso é assunto para o próximo post.

XXVI Festa da Pinga de Paraty
Programação para os próximos dias

20/08/2008 (Quarta-feira)
20h – Cineclube Paraty “Seo Chico, Um Retrato” – Casa da Cultura

21/08/2008 (Quinta-feira)
16h – Rodada de Palestras
“A História e a Produção de Cachaça” – Casa da Cultura
21h – Abertura Oficial do XXVI Festival da Pinga
22h – Fábio Biggie

22/08/2008 (Sexta-feira)
21h – DJ Lívio
21h – Concurso da Rainha do Festival
22h – Cia Dança & Arte de Paraty
23h – DJ Lívio

23/08/2008 (Sábado)
22h – DJ Macaco
23h – FAGNER
00h30 – DJ Macaco

24/08/2008 (Domingo)
21h – Bebeto & Banda

LOCAL: Estacionamento Praça da Matriz – Centro Histórico

Foto: Mac

**********

Me apresentando: sou Marcelo Costa, o Mac, 38 anos. Sou editor do Scream & Yell e escrevo uma coluna sobre música, a Revoluttion, aqui no iG. Comecei com a Keep Coller no colégio e passei pela fase Jack Daniels (pura, sem gelo) e do Hi-Fi (com Fanta Laranja) até me apaixonar pelas cachaças. Hoje em dia, socialmente, vou de caipirinha (de abacaxi ou morango), cervejas (as belgas são sensacionais) e Fanta Uva. Não bebo água, prefiro coca-cola (de garrafa, 290ml).

Autor: - Categoria(s): Paraty, Recomendamos, Rio de Janeiro Tags: , , ,
Voltar ao topo