Publicidade

Publicidade

07/11/2008 - 18:01

Fernet com coca-cola, o drinque nacional da Argentina

Compartilhe: Twitter

Na semana passada, passei alguns dias em Buenos Aires e, como bom colaborador do Bebidinhas, aproveitei para conhecer algumas bebidas locais. Calma, não vou me arriscar a escrever sobre os ótimos vinhos argentinos. O assunto aqui é o drinque favorito dos nossos vizinhos do sul: Fernet com coca-cola.

Mas, antes, vamos explicar o que diabos é Fernet: trata-se de uma bebida criada na Itália, no final do século 19. Originalmente, era vendida como um digestivo para ser bebido após as refeições, ou então como remédio para ressaca. A lista de ingredientes é segredo da Fratelli Branca, empresa responsável pelo produto até hoje.

A idéia de misturar a bebida com coca-cola, dizem, é dos argentinos. O drinque é realmente bastante popular, e pode ser encontrado em qualquer bar ou café. A receita é simples: um copo grande cheio de gelo, uma dose de Fernet (geralmente a variedade Brancamenta, que, como o nome indica, leva menta) e coca-cola para completar.

Resolvi experimentar o meu no London City, um café na Avenida de Mayo, em frente à estação Peru do metrô (ou subte, como os portenhos chamam). O local ficou famoso por aparecer no primeiro capítulo do livro “Os Prêmios”, do grande Julio Cortázar (há inclusive fotos do escritor espalhadas pelo café).

Lugar escolhido a dedo, pedido feito, drinque preparado na minha frente. O veredito: é intragável! Já haviam me avisado que o Fernet é bastante amargo, mas eu não esperava tanto. E a variedade que leva menta, para piorar, tem cheiro de pasta de dente. Não há gelo ou coca-cola que dêm jeito.

Minha dica: se for a Buenos Aires, fique no vinho. Fernet é só para quem gosta de sabores muito, mas muito exóticos.

PS 1: O nome Fernet Branca, vocês já devem ter percebido, vem do nome do fabricante da bebida, Fratelli Branca. Por isso, não estranhe se você pedir um e a bebida que vier à mesa for escura. É assim mesmo!

P2 2: A Renata Honorato, também colaboradora do Bebidinhas, experimentou vinho misturado com coca-cola em suas férias na Alemanha e contou o que achou da inusitada mistura aqui neste post.

Autor: - Categoria(s): Provamos Tags: , , , ,
16/08/2008 - 09:26

Coca-Cola: modo de tomar

Compartilhe: Twitter

Bebidinhas não são só alcoólicas, gente! E eu, que passei muito tempo sendo aquela única criatura da mesa com um copo de refrigerante, tinha que fazer meu post inicial sobre o melhor jeito de degustar uma Coca-Cola.

“Hein? E tem diferença?”, os hereges podem perguntar. SIM! Aprendi isso frequentando o Balcão, meu bar favorito em São Paulo. A fórmula é simples: Coca-Cola de garrafa de 290 ml, um copo alto e gelo de máquina.

A Coca de garrafa nem preciso explicar, é a melhor e ponto. Nem as garrafilhas pequeninas, que são fofas, se comparam à de 290ml. O copo alto preserva melhor o gás. E o gelo de máquina (aquele bem lisinho, com um furinho no meio) não tem aquele “retrogosto de geladeira” que os outros gelos têm.

Ah! Muito importante: nada de limão pra atrapalhar o gosto! :D

Bar Balcão
Rua Melo Alves, 150, Jardim Paulista – São Paulo
Tel.: 11 3063-6091

PS.: Me apresentando: Capitu (ou Marcela), coordenadora de web 2.0 do iG, caçadora de Sites Que Amamos, colaboradora do Comidinhas, fotógrafa compulsiva. Vou escrever bastante sobre os não alcoólicos por aqui, mas também defenderei delícias como o Romã Cosmopolitan. O que? Não conhece Romã Cosmopolitan? Aguarde! :)

Autor: - Categoria(s): Jardins, Recomendamos Tags: , , , , ,
14/08/2008 - 18:07

Bom, barato e em alemão

Compartilhe: Twitter

Quem nunca precisou contar as moedinhas na hora de comprar um drink em um bar que atire a primeira pedra. Pois bem, quando as moedinhas são em Euro, então, o budget é ainda menor. E foi em um desses momentos de “necessidade” que conheci uma bebida bastante exótica, nos canfundós de Kreuzberg, um bairro turco divertidíssimo de Berlim, a cidade que não dorme (podem acreditar).

O bar ficava no terceiro andar, se a memória não me falha, de um prédio comercial e o acesso para o boteco alemão dava-se por meio de uma portinha imperceptível para qualquer turista. Só encontramos o lugar graças a um amigo brasileiro, local, que hoje mora em Berlim.

Depois de subir alguns lances de escada, encontramos o lugar, vazio, talvez em virtude do horário e do dia da semana – 3h da madruga de uma quarta-feira, se não me engano.

Começamos com um clássico Jägermeister (a pronúncia, amigos, é assim, oh: “Iaguermainster”), enquanto aguardávamos a chegada de uma outra conhecida chamada Isabel. Alemã da gema, Isabel estava em Berlim há alguns meses, após passar uma temporada em Londres.

Quando ela chegou (exatamente no horário combinado; inclusive achei os alemães ainda mais pontuais do que os ingleses), pediu no bar um drink ainda inédito para essa paulistana by night. Quando perguntei do que se tratava, Isabel foi sucinta: “Red wine and coke” – já que ninguém falava alemão, conversávamos em inglês mesmo. Não consegui esconder a minha cara estupefata, afinal a idéia de tomar vinho e Coca-Cola não é lá das mais agradáveis. Pelo menos não, assim, juntos.

Bem, com bastante simpatia e perseverança a alemã maluquinha me convenceu a ir até o bar e pedir a mesma coisa. O barman, ao contrário do que imaginava, não achou estranho o pedido e cobrou por ele €2. Ah, nem preciso dizer que a bebidinha conquistou meu coração outrora berlinense.

O gosto não é ruim e confesso ter tomado outros dois drinks iguais ao longo da noite. A bebida é basicamente composta de meia dose de vinho tinto e meia dose de Coca-Cola – no meu caso, light. Gostei.

Quem quiser “sentir o clima” berlinense pobre aqui no Brasil, ouse! Eu recomendo. Ah, claro, o nome da bebidinha é Kalimotxo, de origem basca (Bebidinhas também é cultura).

Cheers

PS. Bom, amigos de copo, para quem não me conhece, sou jornalista, editora do Arena Turbo, “mãe” do blog Game Girl, além de frequentadora assídua de botecos “around the world”.

Crédito//Foto: Flickr mikeltxo2008

*****Atualização*****

Adorei! Eu não sabia que se tratava de uma bebida conhecida aqui no Brasil, principalmente no Sul do país. Bom, aqui em São Paulo, onde moro, não é muito comum beber vinho e Coca-Cola. De qualquer forma, compartilhar essas experiências todas é muito bacana. Dicas são sempre bem-vindas ;p
Cheers

Autor: - Categoria(s): Provamos, Se meu copo falasse... Tags: , , , ,
Voltar ao topo